Mais conhecido como Prof. Piza, autor do livro de quântica amplamente utilizado na pós graduação, Antonio Fernando Ribeiro de Toledo Piza é professor no Instituto de Física da USP. No resumo do currículo lattes do Prof. Piza, podemos ler:

Possui graduação pela Universidade de São Paulo(1961), doutorado em Fisica pela Massachusetts Institute of Technology (1966) e pós-doutorado pela Massachusetts Institute of Technology(1971). Atualmente é PROFESSOR TITULAR da Universidade de São Paulo. Tem experiência na área de Física, com ênfase em Física Nuclear. Atuando principalmente nos seguintes temas:espalhamento, isospin, reações nucleares.

Há alguns vídeos do Prof. Piza no Youtube, onde ele leciona algumas aulas de quântica ou assuntos afins. Confira um desses vídeos:

O título e o resumo da palestra que o Prof. Piza irá ministrar no XIII EFITA estão logo abaixo:

Física Nuclear: contexto e sub-textos

Uma visão panorâmica da Física Nuclear como sub-área da física quântica revela desde o início diversas singularidades. Tendo se apresentado como a segunda linha de fenômenos a serem tratados pela nova teoria, após “os anos de ouro da Física Atômica”, na expressão então comum, referida por Heisenberg, ela se viu no entanto logo engolfada pelo desenvolvimento de seu sucedâneo relativístico, a teoria quântica de campos, alimentado pela fenomenologia da chamada física das partículas elementares. Desse modo, a Física Nuclear firmou seu desenvolvimento como o de uma das “fronteiras internas” da física, usando a expressão devida a Weisskopf, tendo, em particular, logo se encontrado com o seu domínio `natural’ de operação nos fenômenos astrofísicos. No entanto, um enorme fomento para atividade no campo da Física Nuclear resultou da tomada de consciência da sua relevância para “questões práticas” ligadas a possibilidades técnicas com imensas implicações estratégicas e até políticas, diferentemente do que ocorreu com outros campos da física. Disso se alimentam ainda ainda hoje as conotações popularmente associadas a qualquer referência à Física Nuclear. Por outro lado, e independentemente de motivações dessa ordem, o progresso alcançado na aplicação da teoria quântica a um repertório cada vez maior de fenômenos nucleares envolveu ainda ligações, mesmo que muitas vezes apenas à moda de sub-texto, com questões bastante fundamentais da própria física quântica. Os resultados e os pontos de vista daí resultantes são hoje extremamente valiosos para o estudo e a compreensão das propriedades observadas da imensa categoria de sistemas quânticos finitos.

Você já está nos seguindo nas redes sociais? Confira lá no Facebook e Instagram.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *